19 maio, 2010

Uma carta de despedida

"Oi, eu estou aqui mais uma vez ocupando seu tempo, mas não sei como eu faço para deixar de pensar em você.

Estou aqui para uma despedida, da ultima vez acho que falei tudo o que eu tinha para falar com a cabeça quente, estou muito orgulhosa de mim por isso, eu normalmente deixo tantas coisas a serem ditas e nunca tenho coragem. Dessa vez eu tive.
Sabe, todo esse tempo com você foi maravilhoso, e mesmo que não tenha sido realmente algo concreto foi construido fortemente no abstrato.
Eu, agora que já expus toda a minha revolta com a situação, queria agradecer por me proporcionar isso. Não arevolta, é claro, mas tudo que aconteceu nesse meio tempo.
Sabe eu aprendi várias piadas novas, aprendi também como lidar com bobos como você. Nesse meio tempo você me proporcionou várias gargalhadas, agradeço por isso também. E passando para o lado que mais nos comprometeu, eu agradeço por ter me dado de volta uma esperança que eu achava que nunca mais teria. Agradeço por você ter me alegrado em todas aqueles dias, agradeço por fazer piada com meu tamanho e com meus erros de digitação.
Quero lhe agradecer também por ser tão legal e me ouvir quando eu falava merdas ou então quando eu estava tão chata que nem eu mesma aguentava. Nessa lista também entra as vezes em que você viu que eu estava irritada e tentou me fazer rir pelo menos uma vez antes de ir dormir triste.
Tenho tanto á agradecer á você.
Mas quero também que você saiba que já estou bem e que me recuperei desta, só não posso arriscar meu auto-controle e te ter perto demais,é que o buraco ainda dói as vezes e isso quer dizer que ainda não foi totalmente cicatrizado (por enquanto). Desta forma acho melhor dá mais tempo ao tempo, preciso de SOME TIME para somethings.

A cicatriz vai bem sabe?! Só sói as vezes, mas essa dor é até boa. Quer dizer que ainda restaram lembranças. Esse é outro assunto polêmico, eu não sei se devo guardá-las ou deletá-las. To pensando sobre isso ainda, por enquanto acho que vou deixá-las guardadas embaixo do assoalho.
Ás vezes me vem uma súbita vontade de ir ali e conversar com você, ver como você está. Mas não posso, faz parte do meu auto-controle.
Não sei se um dia poderemos ser amigos, eu tenho grande medo de confundir as coisas, sabe?!
Mas eu queria, muito muito mesmo, mas é como eu disse, eu não posso arriscar uma recaída, seria estupidez á essa altura do campeonato.

Eu não sei se um dia você vai ler essa carta, e se quando lê tudo já estará resolvido ou esquecido.
Só queria ter a oportunidade de agradecer por coisas, talvez tão simples para você, mas que causaram meus melhores sorrisos durantes esses 8 meses."



A carta escrita em uma folha de papel foi dobrada 2 vezes impecavelmente e teve uma borrifada do perfume que já era conhecido, tinha bem no meio dela um fio de cabelo um dia achado em meio alguns objetos pessoais.
Hoje, não sabemos se essa carta um dia foi lida, porém todos que um dia já leram se emocionaram e prestaram mais atenção no assoalho e nas coisas que poderiam estar escondidas por lá, esperando serem descobertas...

7 comentários:

Marina disse...

Caraaaaca amiiga .. que isso !! SUPER emociionaante cara!! To bege*-*

Boneca sem manual disse...

"(...) mesmo que não tenha sido realmente algo concreto foi construido fortemente no abstrato".
Foi vc mesma q escreveu? Fantástico!

Carol Schuenck disse...

Sim, sim eu que escrevi *-*
Obg Eliza (:

Tatii Pryor disse...

me segue? http://tatiipyor.blogspot.com/

Chapeleira disse...

o final ta foda dêmas .

White disse...

nossa profundo isso , porra fiquei sem palavras, T.T , pow eu ia escrever algo mas nem dá essa parada me tirou tudo da mente.

Carol Schuenck disse...

Nooossa, Eu nunca que imaginei que voce iria gostar dos meus textos... Obg, mesmo, de coração !