13 setembro, 2012

Como nunca andamos

Como anda aquele nosso amor que deixamos passar?
Como anda você, que perdeu o nome, perdeu o endereço, desapareceu?
Como anda nós dois, como andaríamos se não tivéssemos soltado nossas mãos?
Como estaria aquele nosso amor, aqueles nossos sorrisos, planos e alegrias?

Como anda você, que já não está mais aqui?
Como anda você, você que não está nem mais aí?
Por vezes penso em você, penso em nós, no que seríamos, no que éramos

Como anda você, que não vejo mais, não ouço mais e, por vezes, nem lembro mais?
Como anda você que brotou, surgiu, sumiu?
Como andam nossas noites, nossos amores mal declarados, nossas entrelinhas?
Como andaríamos agora, se nunca tivéssemos desistido de nós?

2 comentários:

White disse...

curioso esse texto , meio confuso não sei se foi a minha interpretação mas ele me pareceu meio rápido demais, ao contrário de muitos outros seus, meio jogado meio empurrado pra fora sei lá deve ser coisa da minha cabeça. ótimo texto

Carolina Maia disse...

Lindo seu blog.
http://reinventingstars.blogspot.com.br