17 agosto, 2010

Talvez

Já comecei textos como esse muitas vezes, e todas as vezes desisti deles.
Talvez me faltasse inspiração, talvez eu devesse mesmo deitar sob o céu estrelado com uma folha de papel amassada e uma caneta bem velha com histórias para contar, mas talvez eu só devesse esperar quebrar minha cara novamente, ou quase isso.
Talvez eu devesse decidir ser menos boazinha demais e  então arriscar mais, ou fazer algo por puro prazer não importando a quem machuque. Talvez eu não devesse escrever isso aqui e deixar que saiba do que se passa na minha cabeça.
Mas o problema sempre foi que eu falo demais e me expresso demais, e talvez até mesmo eu ame demais. Talvez eu exagere demais também, não sei dizer porque eu também fantasio demais.
Acredito no que as pessoas dizem e então quando elas me mostram o contrário arrumo outras pessoas para me iludirem. Não sei bem se é a maneira mais certa de sobreviver a isso tudo, mas de certa forma me sinto bem. Nem que seja enquanto estou iludida com falsos bonzinhos.
Talvez seja dificil mesmo ser bonzinho demais e eu não devesse me prender á isso, mas a verdade é que eu não me prendo. Sou presa, é tudo o que sei.
Talvez meus principios estejam ultrapassados e tenham se tornados retrógrados com isso tudo que vem acontecendo nowadays.
Nunca vai existir alguém bonzinho a ponto de ser perfeito ou algo do tipo, porque eles sempre podem escolher generalizar e você sabe a quem pertece a maioria.
Talvez eu esteja fazendo isso nesse exato momento e  generalizando tudo, mas é que eu não posso julgar a quem faz isso. Talvez  mais uma vez seja instintivo, como todo o resto. Talvez.
Mas se tem algo que venho aprendendo sem saber classificar como bom ou mal, como normalmente (e instintivamente) faço, é que o "talvez" nunca me levou a lugar algum.  E não me importo mais se ele me levar a ruina (mesmo que eu saiba que me importo sim), pois é de lá que tiro as melhores histórias -as vezes- nada reais que conto aqui.
Se é verdade ou não?! Pois é, você nunca vai saber.

2 comentários:

Boneca sem manual disse...

melhor a cada dia, mergulhar fundo nas angústias para tirar o melhor dela ou viver de forma mais segura (e superficial) - sempre foi o meu dilema.

Chapeleira disse...

Foi seu texto mais pessoal . Gostei muito do começo , dos talvezes e inclusive "talvez eu não devesse escrever isso aqui " HAHAH sempre o dilema se expor ou não . Mas nem ficou exposto sobre as coisas que tem acontecidos , só foi uma autoobservarção . O fim ficou meio confuso , tive dificuldade de entender depois da parte dos demais. E sobre se iludir e gostar disso , acho que invés de você dominar isso você acaba sendo dominada por elas . E só , beijo.